Busca

Paulinho Rahs

O Poeta Solitário

Tag

paixão

Volta pra minha vida?

Leia ao som de Don’t Let Nothing Get In The Way

Anos se passaram e eu ainda não esqueci de como é o gosto dos seus lábios. Podiam se passar décadas que tenho absoluta certeza de que não esqueceria. Talvez por você ter sido meu primeiro grande amor. Talvez por você continuar sendo o mistério mais delicioso que a minha vida ainda não foi capaz de desvendar. Sabe, faz tempo que eu corro atrás do tempo e quanto mais eu corro, mais fico atrás. E o que me satisfaz? Estar perto de você. Um pouquinho é bastante, já basta pelo momento. Mas logo eu vou querer mais… Continuar lendo “Volta pra minha vida?”

Anúncios

A última carta de amor que vou escrever pra você

(Para acompanhar, ouça The Blower’s Daughter)

Amor,

Eu sei que faz tempo. Sei também que nada do que passou vai voltar.
Me perdoa. Ah, isso é tão óbvio! Mas sério, me perdoa. Continuar lendo “A última carta de amor que vou escrever pra você”

Espaço em branco

Para ler ao som de Blank Space

Não que eu me divirta com isso, mas os rumores voam. E sei que você vai ouvir falar de mim. Sou aquela pessoa que pode te mostrar tudo e mais um pouco. Magia, loucura, o pecado e o paraíso. A perfeita tempestade caso seus dias andem calmos demais. Vamos tentar ser amigos e quem sabe depois algo mais? Eu posso te fazer voar e conhecer coisas incríveis. Sou a pessoa mais interessante do momento e gostaria de te provar isso. Serei melhor que qualquer história que você já teve, isso eu posso garantir. O que não garanto é que tudo que eu esteja dizendo é a verdade. Mas não é por mal, eu engano inclusive a mim mesmo às vezes. Continuar lendo “Espaço em branco”

Quando você voltar

Leia curtindo Slow Cheetah – Red Hot Chilli Peppers

A minha casa guarda um silêncio ensurdecedor. O quarto, que já foi pequeno, agora é imenso só pra mim. Minha cama parece ter léguas entre uma ponta e outra. Os espelhos eu evito, pois não quero nem ver o trapo que estou atualmente. Mal de ausência é dos piores que tem. Silencia, encolhe, alarga e deprime coisas que deveriam ser normais. Minha casa cheia de alegria, o quarto parecendo minúsculo, a cama bagunçada, meu sorriso nas selfies em frente ao espelho. Deixei tudo isso pra quando você voltar. Continuar lendo “Quando você voltar”

Amores imperfeitos

Para ler ao som de Amores Imperfeitos

Nas estradas do amor… A rota de colisão confunde, mas é normal. As batidas de frente machucam, mas fazem parte. Os acidentes são graves, mas não precisam significar a morte. Nas estradas do amor tem muita gente dirigindo embriagada, com o celular na mão e com imprudência. Têm gente que vê uma placa de curva perigosa para a direita e prefere acelerar e virar para a esquerda. São buracos, desvios, obras e pedágios. É preciso parar para abastecer, trocar o óleo e calibrar os pneus. Não da para esquecer de nada disso. Continuar lendo “Amores imperfeitos”

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑