Quando foi a última vez que você foi feliz de verdade?
Que viveu 100% no momento
com a cabeça em liberdade
e sem se preocupar com mais nada?

Ao longo da estrada
claro que as responsabilidades aumentam
mas tem coisas que arrebentam
de vez com a nossa vida.

Você tá sempre conectado
ansioso por algo que vai acontecer.
Você nunca está totalmente no presente.
Será que esse é o jeito certo de viver?

Quantas vezes você disse a si mesmo:
“Agora vai.”
“Dessa vez não tem como dar errado.”
E quando se deu por conta
tudo estava despedaçado?
E quantas vezes você pensou
que seu mundo desabou
e tudo estava perdido
mas logo na sequencia algo aconteceu
e voltou a dar a sua vida sentido?
Veja: a gente vive numa gangorra
do tudo ou nada, do agora ou nunca.
Mas a maioria das vezes é meio termo.
A vida vai acontecendo e as coisas vão se equilibrando.
Um dia se está sorrindo, no outro se está chorando.
Tem muita coisa boa que vai levar a algo ruim.
E tem coisas terríveis que podem algo muito bom te trazer.
Nunca tem como saber. E nem adianta esperar.
O que resta é equilibrar. O que resta é viver.

É muito provável que a gente nunca mais volte a se ver.
Pelo menos não do mesmo jeito:
um na casa do outro, um jantar a dois,
um filme abraçados, cabeça apoiada no peito.
Então: muito obrigado por todos os momentos.
Agora, vamos seguir em frente.
E pra evitar todo e qualquer sofrimento
te peço que não tente voltar.
Foi como tinha que ser, deu o que tinha que dar.
Não nos resta mais nada pra conversar.