Se você não cuidar, quebra mesmo.
Se você não limpar, vai continuar sujo.
Se você fizer de qualquer jeito, vai ficar mal feito.
Se você não se ligar, quando vê se acostuma
a viver com as coisas quebradas, sujas, feitas de qualquer jeito.
Isso vale pra tudo: relações, amizades e amores,
casa, trabalho, lidar com as suas dores.

A gente tem essa mania de empurrar com a barriga
e depois reclamar que não está bem como queríamos.
Mas para pra pensar direito: que outro resultado pode se esperar
de algo feito mal e porcamente?
O bom é que sempre dá pra começar a ser diferente.
O ruim é que depois que está quebrado
ou nos acostumamos com a preguiça de fazer sem pensar
é muito mais difícil recomeçar.

E qual é o jeito certo?
É simples. Mas já ouviu aquela expressão que fazer o simples é que é difícil?
A gente complica tudo.
Ser um amigo, um filho, um companheiro melhor
parece tão complicado.
Arrumar a casa, limpar a alma, se livrar dos vícios diários.
Todas essas pequenas coisas se feitas com mais cuidado
podem deixar a vida tão boa.
Só que a gente quer que tudo seja melhor
mas não quer fazer tudo melhor.
Sem desleixo, sem matação.
Com mais carinho, com mais atenção.

Essa conversa me lembrou
das centenas de vezes que derrubei meu telefone no chão
e aí fui na loja trocar a película.
Fiz isso algumas vezes já na minha vida.
Um dia cheguei na loja e a moça me disse:
– Dessa vez quebrou a tela, você não tinha colocado película.
E eu perguntei:
– E agora?
– Agora é muito mais caro pra trocar a tela. Acho que vale a pena
comprar um telefone novo.

Viver é como andar com um celular caríssimo sem película.
O problema é que quando a tela quebrar
nem todo o dinheiro do mundo
pode te comprar um telefone novo.

Mesmo assim, vivemos derrubando o telefone no chão.
Eu já troquei de aparelho celular, de óculos escuro,
de relógio – até de carro! – muitas vezes na minha vida.
É tão fácil: quebrou? Troca!
Às vezes vai ser caro, vai doer no bolso, claro.
Mas olha que simples: tem solução!
Quebrou? Troca!

E quantas vezes a gente tenta replicar isso na vida?
O namoro quebrou? Troca.
A amizade tá quebrada? Ué, troca por outra.
O corpo tá ruim? A relação com os pais tá um lixo?
A sua casa tá virada de pernas pro ar?

É. Não é tão simples assim.
Numa vida com tantas coisas descartáveis
fica fácil acreditar que tudo vai ser moleza pra reparar.

Agora deixa eu te perguntar:
e quando não tem como trocar?
E quando mesmo que conserte
nunca vai voltar a ser a mesma coisa?

Por isso, viva com mais cuidado.
Dê mais valor, mais carinho.

Nem tudo na vida dá pra trocar.
E mesmo quando dá
nunca vai ser tão bom como era
antes de quebrar.

Paulinho Rahs