Busca

Paulinho Rahs

@PaulinhoRahs.Escritor

Tag

melancolia

Dia da mentira é todo dia que falo de amor

Se eu disser que te esqueci
é mentira.
Mas sem dissimular um pouco
nesse mundo a gente pira.

Eu digo que te esqueci
em todo lugar que vou.
Mas alguém esses dias me questionou:
– se você já esqueceu
por que segue falando dela?


Eu falo é pra tentar provar,
algo que nem eu acredito.
Tipo criança birrenta,
chorando por pirulito.

Infelizmente, agora,
o doce acabou,
o sorvete derreteu,
o brinquedo se quebrou.

Continuar lendo “Dia da mentira é todo dia que falo de amor”

Meu café recém passado me faz lembrar de você

Meu café recém passado me faz lembrar de você. Acabo de me dar por conta disso: eu tomo café todas as manhãs e isso sempre traz a sua imagem na minha mente? Pensei em parar até com a cafeína para ver se te esquecia. O problema é que tudo me lembra você. Minha casa, minhas roupas, as músicas que ouço e até as minhas tatuagens. Me conformei. Vou lembrar de você pra sempre.

Continuar lendo “Meu café recém passado me faz lembrar de você”

A velocidade de tudo que acontece em cada momento depende de você

(Livremente inspirado na canção Velocidade – Vera Loca)

Estávamos eu e ela, sentados, conversando sobre nada, falando quase tudo.

Era a minha chance, mas passou tão rápido. Era um pôr do sol, um momento perfeito. Mas quantos minutos dura um pôr do sol? Não o suficiente para eu conseguir me declarar. E quando escureceu, o clima já era outro. Foi embora uma das mais lindas oportunidades daquelas que acontece apenas uma vez na vida. Continuar lendo “A velocidade de tudo que acontece em cada momento depende de você”

Morbidez

Naquela tarde eu me sentia completamente vazio. Sozinho no mundo, omisso a tudo. Um vampiro em frente ao espelho. Por que será? Nada parecia valer a pena, o céu estava nublado e eu arrependido. Uma necessidade monstruosa de pedir desculpas a todos que feri com minha falta de sensibilidade. Parecia que a tristeza passou o tempo parada esperando por esse dia. Desde então nada foi mais do mesmo jeito e agora, até as paredes do meu quarto riem da minha cara. Ainda ouço barulho de trovões numa ironia tão grande, que quando a chuva chegar já nem terei lágrimas para molhar meu rosto. Continuar lendo “Morbidez”

Indiferença

Onde me encontrar você sabe

Naquele lugar os outros costumam ir

Quando estou lá? Ninguém sabe…

A propósito: eu costumo mentir

Continuar lendo “Indiferença”

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑