Me cerquei de gente que não me entendia.
Que nunca conseguia
enxergar o mundo
da maneira que eu via.

A real é que eu gosto dos loucos.
Daqueles que ficam roucos
de rir e beber numa madrugada.
Que amam a parceria,
seja de noite ou de dia,
entram na vibe e pegam a estrada.

Por muito tempo
não fui quem eu era,
perdido numa sala de espera
onde esperavam que eu fosse normal.

Mas enfim, entendi no final:
Eu gosto é dos loucos,
e prefiro estar sozinho do que na agonia
de compartilhar meu caminho
Com quem não compartilha
essa mesma energia.

Paulinho Rahs