Acabou a minha pressa.

Desde que eu consigo me lembrar, vivo correndo e com pressa.

É tudo pra agora, pra hoje.

Não. Na real é pra ontem!

Acelera aí, pô! Eu tenho que chegar logo.

Chegar logo nos 18, chegar logo na faculdade, largar logo esse curso chato, ir morar logo sozinho, viajar bastante – e logo!

Ficar rico antes dos 30, famoso até os 25, ser respeitado no máximo amanhã e bem sucedido pra hoje – custe o que custar.

Meu amigo se formou. Tá vendo?

Morreu um famoso no auge. Viu como eu tô certo?

Tem um carinha lá no Insta que é cinco anos mais novo que eu e já estourou. Entendeu?

A vida é um sopro.

Tem que ser pra hoje!!!

Ou ao menos tinha.

Agora minha pressa acabou.

Não sei direito da onde veio essa paz.

Mas hoje acordei sem pressa.

Veja que ironia: a pressa toda que eu sempre tive era pra conquistar tudo o mais rápido o possível. Aí, com tudo feito, viver em paz.

Só que justamente a pressa é que me tirava a paz.

Hoje acordei sem pressa. E acordei em paz.

“A vida é um sopro.”

Essa frase viralizou essa semana por conta de uma tragédia recente. E eu li ela tantas vezes que finalmente entendi tudo.

A vida é um sopro, sim. Mas isso não é razão pra ter ainda mais pressa.

A vida é um sopro, uma brisa leve que voa. Que vai terminar e passar até mais rápido que a gente imagina.

E é exatamente por isso que viver de verdade e valorizar todos os dias é essencial.

Sim, temos tempo.

Você tem tempo pra dizer que ama, pra beijar e abraçar as pessoas da sua vida, pra visitar um velho amigo.

Você tem tempo pra jogar papo fora, ir no parque sem a porcaria do celular (o dispositivo da pressa), pra cuidar da sua alimentação e se exercitar.

A gente só não tem tempo quando se perde na pressa de conquistar mil outras coisas. Pra aí, no fim da vida, quando o tempo estiver acabando, ver que as coisas mais importantes sempre estiveram ali.

Hoje eu acordei e entendi o que importa de verdade.

E hoje acabou a minha pressa.

Paulinho Rahs