Depois de sei lá quanto tempo sem te ver
e aí do nada te encontrar…
Sabe como é voltar a olhar pra você?

Primeiro é me perder.
Fiquei totalmente sem rumo
e completamente sem entender
como eu achava que tinha superado.
Como eu menti me olhando no espelho
se eu nunca consegui esquecer?

Olhar pra você é voltar no tempo,
perder o chão no presente
e me perguntar sobre o futuro.
Já não pareceu tão escuro.
Seus olhos acendem uma luz de esperança.
Na sua frente eu viro criança,
perco a noção do que é certo.
A única coisa que eu queria
é ter um momento que fosse mais perto.

Mas você não pode. Eu também não.
Vivemos outras vidas, com outras pessoas.
O que fazer então?

O que eu vou fazer eu te digo.
Se você ler essas palavras
e entender que tô falando contigo,
por favor, me dá um sinal.
Eu não quero mudar o final
de uma história que já acabou.
Eu queria só uma chance de conversar.
Te perguntar sobre a tua vida.
Te contar como eu estou.

Lembra que a gente prometeu
que independente do que acontecesse
a gente daria um jeito de se falar
um dia que um poema meu você lesse?

Esse é pra você. Uma indireta pra entender:
tá difícil de viver sem ao menos te ver de vez em quando.
Hoje eu te vi. Por acaso, de um jeito inesperado.
Mas você sabe como eu sou, meio errado.
Não tem como acreditar em acaso.
Eu e você tínhamos tantas outras coisas pra fazer.
Por que logo hoje cruzarmos no mesmo lugar e na mesma hora?
Agora…
Sabe como é voltar a olhar pra você?

É tremer e suar frio.
É no peito sentir um vazio
que você insiste em não preencher.
É acreditar que quem sabe algo pode acontecer.
É chegar em casa zonzo, sentar e escrever.
E agora botando um pouco do que sinto pra fora
consigo ver com mais clareza.

É mais que a tua beleza. É mais que o nosso passado.
É uma fresta aberta numa porta que eu deveria ter fechado.
Aí, ver você hoje simplesmente escancarou:
você realmente me superou?

Se você chegar a ler isso, vou começar a crer que não.
Não quero nem volta, nem nada muito absurdo.
Queria só poder te ver pessoalmente.
Queria poder trocar uma ideia, frente a frente,
como a gente já fez em outro momento.

O tempo pode passar. O mundo pode girar.
Você sempre vai ser o meu primeiro grande amor.
Te ver me deixou com essa necessidade de algo fazer.
Fica aqui o meu convite: quero muito te ver.
Mas se meu texto não chegar até ti
ou você ler e não entender,
realmente você não faz a ideia
de pra mim como é
voltar a olhar pra você.

Paulinho Rahs