Não tenha medo da mudança.
Tenha é pavor de ficar a vida inteira no mesmo lugar.
A vida é mesmo uma constante metamorfose em todos os sentidos. E por isso é que não faz sentido você ficar paralisado nesse pânico de que nada vai ser igual para sempre.

As coisas mudam de lugar, as situações mudam de condição. Feliz mesmo fica quem consegue se adaptar as mudanças e entender que nós não pertencemos a lugar algum. E nada também nos pertence. É tudo passageiro. Nós também somos apenas passageiros nessa viagem.

Faz parte da jornada ver tudo ir se transformando. Mas em vez de lamentar e se apegar ao passado, mude junto. Evolua, não queira continuar sendo quem você era anos atrás. Não tente desesperadamente se segurar em um tempo que não existe mais. É como dizem: existem dois dias do ano em que você não pode fazer nada. Um é ontem e o outro é amanhã. Então, vamos viver o hoje.

Não tenha medo da mudança.
Tenha medo da mesmice.
Tenha horror da chatice de esperar uma vida igual. Que filme tem graça depois que a gente já sabe do final?
Vamos aceitar que nada é sempre igual. Assumir que se mover é melhor.
E entender que por bem ou por mal tudo vai mudar. Melhor do que brigar com o inevitável, é abraçar-se no que é fatal e dançar a dança da vida.

A dança da mudança.

Paulinho Rahs