Te amar foi a coisa que mais me machucou na vida. Eu abri mão de centenas de coisas pra poder estar com você. Adiantou? Não adiantou nada! Só eu tentei com todas as forças, só eu amei acima das dificuldades. E o resultado? Você já me esqueceu e eu sigo machucado.

Recebi a sua mensagem dando um “oi” e querendo me ver, sei lá, apenas pra curtir ou relembrar. Você realmente não tem ideia que a nossa história quase me matou, né? Você seguiu em frente e eu fiquei remoendo. O que você acha que seria relembrar, pra mim seria suicídio.

Eu realmente fiquei mais forte depois do nosso final, mas eu não sou maluco de querer brincar com fogo. Seria pedir pra me queimar de novo. Então, prefiro simplesmente não te ver. Por que se a gente recomeçar, mesmo que como amigos, em algum momento os sentimentos vão voltar.

Afinal, você gosta de mim de verdade ou quer só brincar com o meu coração? Você realmente deve sentir prazer em me ver correndo em círculos que nem cachorro. Se pra você eu sou um brinquedo, pra mim você é um vício. E eu preciso me afastar desse veneno.

Não volta. Não manda mensagem. Não me tenta com a possibilidade de algo sem compromisso. A gente poderia curtir, claro. Só que isso nunca acabou bem na história dos relacionamentos. Alguém sempre vai sair machucado. E eu sei que vai ser eu.

Por isso eu deletei teu número e preferi te bloquear. Imaturidade? Não. É que essa foi a única maneira que eu encontrei de conseguir seguir em frente sem enlouquecer. Pra você é normal seguir me vendo, claro, você amou menos. Mas pra mim que amei mais, o único jeito foi esse.

Algumas verdades sobre nós dois: foi intenso, foi verdadeiro, foi real. Também foi tóxico, sufocou e fez mal. Começou bem, desandou, acho que é normal. Agora, pelo bem de nós dois, se você já esqueceu do amor, para de me procurar. Por que eu não consegui esquecer e preciso me afastar.

Paulinho Rahs