Eu tava aqui pensando sobre nós dois e a nossa história. Olha só, a gente não foi o grande amor da vida um do outro. E também sequer o primeiro. O último? Até o momento não e parece que não vai ser mesmo. Mas tenho certeza que você foi o meu amor mais intenso.

Quando a gente se apaixona por alguém com a maior intensidade possível, pode ter certeza que nada jamais apaga a marca no coração. Pode dar errado, pode não funcionar, pode ser fogo de palha e acabar. A paixão até acaba, mas a lembrança não.

É engraçado, mas é exatamente isso: não que eu queira voltar com você ou tenha me arrependido do rumo que a vida tomou. A única coisa que ficou foi uma lembrança boa e vez que outra essa notificação vibra na minha mente e me faz querer reviver – nem que seja só pra matar a saudade.

A minha vontade era mesmo te fazer essa proposta: você volta e a gente enrosca com um prazo de validade. Pra mim já serviria ter umas 24h daquilo tudo de novo. Pois eu sei que dar certo a gente nunca vai dar. Então que fosse apenas por relembrar e ser feliz por um dia.

De vez em quando eu abro aquele fake que criei pra te stalkear e dou uma checada na sua vida. Eu vibro pelas tuas conquistas e secretamente desejo de verdade que você seja muito feliz. A única coisa que me mata um pouco é pensar que a gente não vai ter nem que seja um encontro final. Se eu soubesse que aquele seria o último, teria aproveitado mais.

Esses dias eu pensava em resumir o que a gente sentiu um pelo outro em uma palavra.
Teve um pouco de tudo na nossa história: paixão arrebatadora, loucura, briga-separa, saudade, velocidade, carência, vontade, mentira, verdade. Lembrança foi o que ficou.

É isso. Tipo, nossa história check:
Primeiro amor? Não
Grande amor da vida? Não.
Último amor? Não.
Amor mais intenso. Intensidade sempre vai nos resumir bem.