Sério, essa é a última tentativa.

Não por que eu vou desistir após tentar essa última vez. Mas sim por que desta vez eu vou conseguir, custe o que custar. Não importa o quanto vai ser difícil, o quanto eu vou ter que fazer sacrifícios: essa é a tentativa da glória, não importe o que eu precise fazer.

Já perdi as contas de quantas vezes eu comecei, cai e recomecei. Já perdi as contas de quantas vezes eu fracassei e me vi perdendo tempo e oportunidades. Há quantos anos eu tenho desejado a mesma coisa? E por que diabos eu não estou conseguindo fazer tudo dar certo? Afinal, essa versão de um fracassado que se olha no espelho é mesmo quem eu deveria ser nessa altura do campeonato?

Chega. Eu estou cansado de ser mais ou menos, de tentar de um jeito meia boca e ter resultados de ações estabanadas. Que, desse momento em diante, eu me veja como um guerreiro. Ou um atleta de alta performance. Quem sabe como um peregrino ou mesmo um piloto de Fórmula 1. Qualquer uma das imagens serve, desde que eu me veja dentro de um desafio que não aceita falhas, um projeto que requer disciplina e foco, que necessita entrega e dedicação de maneira completa.

Essa é, afinal, a minha última tentativa.

Eu vou fazer dar certo, não importa o preço do sacrifício.

E quando eu olhar pra trás, vou poder agradecer pela oportunidade de finalmente conseguir olhar no espelho, pela primeira vez na minha vida, e não parecer que algo está errado.

Paulinho Rahs