A real é que você
foi a minha última ilusão.
Não última no sentido de “mais recente”,
mas a última – onde eu dei um basta.

A que me deixou com a ideia gasta
de tanto quebrar a cabeça.
A ilusão que me fez deixar de acreditar
aconteça o que aconteça.

Você despedaçou a minha crença
de que sempre há um jeito.
Você estraçalhou meu plano
de que o amor pode ser perfeito.

E embora eu ainda acredite
no romance e na paixão
numa coisa eu já não erro:
que é me deixar levar pela emoção.
Agora eu vou mais devagar.
Você foi a minha última ilusão.

Paulinho Rahs