Tentei te encontrar
em outros corpos,
em outros beijos,
em outros olhares
mas simplesmente ninguém que eu vejo
tem graça alguma comparado a você.

Talvez seja o seu jeito de ser.
Ou a maneira que você tem de dizer
“Oi meu bem, tava com saudade!”
É, na bem da verdade, faz tempo que eu não escuto isso.
Mas segue gravada na minha lembrança
a melodia da sua voz feito uma dança
em áudios e mensagens,
nas memórias das nossas viagens,
nos dias que não voltam mais.

Sigo tentando te encontrar
em outras pessoas
na esperança de um dia te esquecer
ou da manhã em que você vai acordar e ver
que também não consegue viver sem mim.

Enquanto isso não acontece
segue a minha história sem fim.
Procurando, procurando, procurando
te encontrar…

Paulinho Rahs

Publicidade