Se o amor é o sentimento mais poderoso,
o amor de uma mãe por um filho é de longe
o mais maravilhoso.

Uma conexão que não se explica, vem de Deus.
E até mesmo os ateus enxergam nisso um milagre.
Um ser humano é gerado através do ventre de uma mulher.
Pode falar o que quiser,
amor de mãe é inigualável.

E esse poema dedico a quem tem essa honra admirável:
a todas as mamães do Universo,
ofereço esses meus versos.

Mãe um dia foi a filha esperada.
E no meio da sua estrada
chegou a sua vez de se tornar uma.
Tem mãe que planeja ter o filho,
tem mãe que descobre como uma surpresa.
Algumas trabalham em empresa,
muitas são donas de casa.
Mas nenhuma mãe é rasa
na intensidade do sentimento.

Mãe é mãe a todo momento.
Do segundo que descobre a gravidez
ao último suspiro.
Todos os dias do mês,
todas as semanas do ano.
Por todos os anos.
Cuida de um bebê, de uma criança, de um adolescente
que se torna adulto ali na frente.
Se a vida abençoa com esse presente,
vê seu bebê virar um idoso.
E sabe o que é o mais curioso?
Ela segue no ofício de mãe.
Mesmo quando o filho cresce
e a vida o torna distante,
a luz desse amor brilhante
segue pulsando no seu peito.

Realmente, não tem outro jeito.
Mãe segue se preocupando.
Quando está perto cuidando,
se está longe rezando.
Mas sempre com um sentimento zeloso
por seu filho ou filhos amados.

Como é possível essa ligação?
Existe amor de irmão,
amor de relacionamento.
Amor de pai, que é outro sentimento
tão bonito, mas nada igual.
Por que no final
não vai ter como comparar.
Ninguém vai amar
mais um ser humano
que a pessoa que por nove meses, dentro de si, o carregar.

Eu agradeço pela minha mãe.
Mas agradeço também pela sua.
Agradeço a você senhora – ou senhorita
que nesse momento recebe essa minha escrita.
Agradeço pela sua existência.

Pois num mundo com tanta violência,
com valores virados do avesso,
se existe um endereço onde tudo é perfeição
vá na casa de alguém que é mãe
e peça pra ouvir o seu coração.

Dizem que o mundo é complicado.
Até concordo, existe esse lado.
Mas uma coisa eu tenho certeza:
se a vida fosse gerada de outra maneira
e não existisse mais o amor materno
esse mundo já teria virado poeira,
seria frio feito o pior inverno.

E se ainda existe jeito pro tal de planeta Terra,
a minha poesia se encerra
com o que deixa uma esperança:
todo dia nasce uma nova criança
que pode aprender a amar o seu semelhante.
Independente do que aconteça na sua vida
ela terá dentro de si o sentimento mais importante:

o incondicional amor de mãe.

Paulinho Rahs