Sempre que a gente busca a aprovação
o carinho ou a atenção
de alguém – mas que nunca vem,
vale a pena parar,
pensar e se perguntar:
eu preciso mesmo disso?

Eu preciso ficar submisso
e deixar a minha felicidade
condicionada a ação de outra pessoa?

Olha, numa boa,
essa respondo por ti:
não. Não deixa isso rolar aí.
Te valoriza mais.
Se for pra criar pedestais
e colocar alguém acima,
presta atenção na minha rima:
coloque apenas você.

Passou da hora da gente entender
que já tá mais que fora de moda
aquele esqueminha da roda
onde um persegue o outro.

Onde Zé corre atrás de Maria,
que corre atrás de Pedro,
que por sua vez, nesse enredo,
tá correndo atrás de Paulinho.

Eu? Eu já não tô mais sozinho.
Dei sorte, não tô mais correndo.
Agora, te falo – e digo sabendo
pois já passei por isso aí.

A gente dá valor pro abacaxi,
pra situação mais complicada.
E a pessoa que nos quiser fica escanteada.
Parece que essa é a nossa condição natural.

O problema desse tema
vai além somente do amor.
Pois amar e não ser amado,
querer e não ser correspondido
embora doa, no fim tem sentido.
Sempre vi corações partidos de paixão
como enredo de uma história bela.
Por que, eventualmente meus amigos,
toda tampa encontra a sua panela.

O que muito eu já fiz na vida
e não consigo aceitar
é quando buscamos admiração
de quem faz questão de nos esnobar.

– Vai procurar a tua turma!
Certa vez me disseram assim.
Como a me explicarem que meu lugar
não era naquele jardim.

É duro quando a gente só quer
ser aceito, se sentir parte do que os outros são.
Isso me lembrou, então,
de um verso que escrevi num outro texto aí, que diz:
“Eu quis fazer parte do grupo
ser um membro da aldeia
mas a tribo tava era cheia
de gente que não me queria.”

Hoje eu entendo e me eximo de culpa.
Pois culpa só corrói o nosso “eu” verdadeiro.
Valorizo as minhas virtudes,
me amo por inteiro.
E digo, se coloque por primeiro.
Não omita quem você é
pra ser aceito por quem não te quer.

Pois o gosto deles muda
e nessa dança pode ser que os outros não aprovem
nem mesmo a sua mudança.

E se você se perder até de você mesmo
te pergunto: do que vai ter adiantado?
Você precisa apenas aprender a se amar.
O que você não precisa é ser aprovado.

Paulinho Rahs