Não acabe se tornando
prisioneiro do passado.
Só por quem você já foi
não se sinta rotulado.
Muitas vezes nós agimos
como se estivéssemos condenados
a repetir os mesmos erros,
viver sempre a frustração.

Mas saiba, de coração,
sempre é tempo de mudar.
O início já não volta,
mas o final pode ser diferente.
O que vale é daqui pra frente.
Já não importa o que passou.

Não importa o quanto você errou,
somente o quanto ainda pode acertar.
É preciso se perdoar, aceitar-se pra seguir.
Não deixe seu futuro ruir
por causa de erros antigos.

Talvez seja o maior dos perigos
insistir em querer voltar no tempo.
Eis aí um grande contratempo:
isso ninguém nunca conseguiu.
Mas de todos que já se arrependeram nessa terra,
feliz quem após isso evoluiu.
Quem no fundo descobriu
que se perdoar é libertador.

Portanto, cometa um ato de amor
como faria com o seu melhor amigo.
Mas cometa este ato consigo,
com quem você pode se tornar.
Busque a sua melhor versão,
pra no futuro você se lembrar
de agradecer pelo dia que entendeu
que ficar se lamentando não leva a nada
e você finalmente compreendeu
que o controle para a mudança
é completamente seu.

Paulinho Rahs