Caramba,
que ansiedade!
Que saco essa mania
de ser consumido pela vontade
de estar sempre no futuro,
imaginando se vai ser escuro
ou se terei a sorte de que seja claro.
Pra mim um dia inteiro feliz
tem sido artigo raro.

Tudo dói,
principalmente a cabeça.
Eu nunca acho que eu mereça,
só torço para que a inquietude desapareça,
mas nada parece funcionar.
Se eu deitar, a mente gira.
Se eu sair caminhando
a casa me pira.

É sempre tudo ou nada.
É sempre melancolia na madrugada.
As noites ficam mais longas
os dias também se arrastam.
E espero que por elas mesmas
de repente as coisas se façam
e quem sabe, por acaso,
minhas esperanças renasçam.

Caramba,
será que é perigoso?
Viver assim,
com esse pensamento maldoso?
Dia vai, dia vem
e eu sigo ansioso.

Paulinho Rahs