A gente se decepciona.

Mais do que queria, muito mais do que imaginava.
Quando você planejava a sua vida anos atrás,
era no lugar que está hoje que pretendia estar?
Ou você simplesmente se deixou levar
pela onda da rotina e viveu no automático?
Não quero ser pragmático
e resumir tudo como uma obra do acaso.
Mas todo esse atraso que você vive agora
não seria culpa daquela hora em que
abriste mão do controle, se acomodou na poltrona
e deixou a sorte ser dona do que seria seu destino?

Desde que eu era menino, aprendi a entender
que deixar de escolher também é fazer uma escolha.
Deixar de riscar a folha também compõe um desenho.
De todas as coisas que eu tenho ou que pretendo possuir
deitar na cama e dormir consciente de que dei meu melhor
é o desejo maior, é a tônica mais potente.

E eu digo a minha gente que nessa hora me escuta
a vida é realmente uma luta e cada dia é um round.
Cada dia é um capítulo de um livro que escrevemos.
O dia em que você não escreve, a página passa igual.
E o livro vai indo pro final. Tudo acaba eventualmente.
Por isso bota na tua mente, que as pessoas falham com a gente.
Mas é inevitável, o que se vai fazer?
O melhor é estar ciente que tudo se resume a escolher.
Não deixe que as decepções pautem as suas escolhas.
Sai de dentro dessa bolha e vai ser feliz lá fora.
Por que a vida é sempre agora
e a minha escolha foi viver.

Paulinho Rahs