A adoração de imagens e desenhos representando entidades divinas existem desde os primeiros RESQUÍCIOS de civilização. Em meio a um século XXI, onde nasce um ídolo – na mais moderna concepção da palavra – a cada instante, é incontestável a importância deles. Sem distinção, desde à guria no auge de seus doze anos que ENSANDECIDA atira ursinhos com veemência no palco do Luan Santana, ao barbudo de cabelos compridos que tatua o Angus Young nas costas. A real é que todo mundo deveria ter alguém para se inspirar. Cada um na sua evolução, cada um no seu entendimento. Mas deve existir alguém que seja seu herói, que mereça suas lágrimas e que esteja acima do normal. Ainda que apenas ILUSÓRIAMENTE.

Continuar lendo “O Poeta Solitário e a importância dos ídolos”