Busca

Paulinho Rahs

O Poeta Solitário

Tag

fim

A última carta de amor que vou escrever pra você

(Para acompanhar, ouça The Blower’s Daughter)

Amor,

Eu sei que faz tempo. Sei também que nada do que passou vai voltar.
Me perdoa. Ah, isso é tão óbvio! Mas sério, me perdoa. Continuar lendo “A última carta de amor que vou escrever pra você”

Tudo que eu quero é que você seja feliz

Leia ouvindo Hard to Concentrate

Se não deu, não deu. O negócio é seguir em frente, vamos lá. Amigos? Amigos.

Bom, ao menos esse é o discurso que ensaiei para te falar quando voltarmos a nos encontrar um dia desses. Com um sorriso falso, mas bem mascarado. Cuidando cada detalhe, tentando te convencer que estou muito bem, obrigado. Pois na realidade não há absolutamente um “seguir em frente”. Eu tenho mesmo é andado em círculos, feito cão atrás do próprio rabo, perseguindo algo que não está no meu alcance. Continuar lendo “Tudo que eu quero é que você seja feliz”

Tudo que eu daria para ter você de volta

Você pode ler ao som de Never Gonna Leave This Bed

Éramos nós dois. Apenas nós dois. Contra o mundo, contra todos, contra tudo. E poderia ter sido muito mais. Poderia ter sido se nossas escolhas fossem outras e se nossa intenção de subestimar o tempo e a vida não fosse tão tola. “Se” isso, “se” aquilo. Agora essa palavrinha de duas letras me atormenta diariamente quando penso na perfeição do seu rosto. Primeiro tudo desacelera, pois ainda sobrou um tanto de carinho e por alguns instantes eu sinto que você ainda vai entrar pela porta. Depois uma aflição gigantesca parece apertar meu estômago, meus pulmões e meu coração, como se tudo dentro de mim fosse explodir a qualquer momento. Continuar lendo “Tudo que eu daria para ter você de volta”

Já que não deu certo

(Escrito ao som de Fix You – Coldplay)

Eu desci do carro e dei de cara com você. Fazia semanas que não te via mais e foi impossível não congelar. Te abracei, dei um “Oi” desajeitado e perguntei como estava, daquele jeito super automático. Enquanto isso, tentava te analisar e aproveitar o brilho dos teus olhos pelos poucos segundos em que pude. Como as coisas foram acabar desse jeito, menina? Continuar lendo “Já que não deu certo”

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑