Busca

Paulinho Rahs

O Poeta Solitário

Não adianta fugir

Eu consigo ver através da sua alma. Tudo que deixamos para trás e que voltou para nos assombrar está se tornando um peso praticamente insustentável sobre as minhas costas. Preciso de ajuda para carregar isso tudo e, sinceramente, você também tem culpa. O que é justo é justo, certo? Então pela justiça, que você sempre foi tão a favor, me ajude a carregar esta cruz. Sabe quando a gente está vivendo, mas dentro da mente só consegue lembrar do passado? Eu tenho a nítida sensação de que não pertenço ao lugar em que estou agora. Continuar lendo “Não adianta fugir”

Anúncios

O rancor aprisiona

Ela ainda não sabe o crime que cometeu, mas está encarcerada. A cela é fria e úmida. A comida é escassa e as visitas, cada vez mais raras. Seu grito ecoa num ambiente que não acolhe dores. Ela gasta o tempo que tem a pensar em tudo que a fez chegar até ali e planeja, minuciosamente, os próximos passos dentro daquele pequeno tártaro. Todos os dias a rotina se repete. Ela alimenta a história, cuida de cada detalhe para nenhum deles ser esquecido. Insano dizer, mas ela parece saborear cada dor, cada mágoa e todas as palavras frias, proferidas numa manhã de domingo, entre um gole de café e um baque de porta. Continuar lendo “O rancor aprisiona”

O dia em que comecei a me amar com todas as minhas forças

Hoje eu acordei mais cedo que o normal. Lavei as mãos, lavei o rosto, e, ao me olhar no espelho, me deparei com uma imagem que não via há muito tempo. Era eu do outro lado, obviamente, mas eu estava diferente, como se soubesse, em sonho, que aquele dia fosse mudar o rumo da minha vida, como se soubesse que eu não havia levantado mais cedo por acaso.

Continuar lendo “O dia em que comecei a me amar com todas as minhas forças”

Tudo que eu quero é que você seja feliz

Leia ouvindo Hard to Concentrate

Se não deu, não deu. O negócio é seguir em frente, vamos lá. Amigos? Amigos.

Bom, ao menos esse é o discurso que ensaiei para te falar quando voltarmos a nos encontrar um dia desses. Com um sorriso falso, mas bem mascarado. Cuidando cada detalhe, tentando te convencer que estou muito bem, obrigado. Pois na realidade não há absolutamente um “seguir em frente”. Eu tenho mesmo é andado em círculos, feito cão atrás do próprio rabo, perseguindo algo que não está no meu alcance. Continuar lendo “Tudo que eu quero é que você seja feliz”

Amor platônico

Foi mês passado. Se não estou enganado foi sim. Caramba, tudo isso! A situação é a seguinte: eu estava tomando meu café na sacada de meu apartamento como religiosamente faço todos sábados pela manhã. Eis que de repente ela passou. Cara, estou te falando: era a mulher da minha vida. Sorridente, tenho certeza que ela chegou a olhar pra cima. Hipnotizado, não pude fazer nada senão observar ela cruzar a rua e sumir ao dobrar a esquina. Assim que ela sumiu atrás da rústica construção de tijolos onde se encontra o mercadinho aqui da frente, minha primeira reação foi a de deixar o café em cima da mesa e descer correndo, pela escada mesmo, os quatro andares que separam a minha residência do nível da rua, até a calçada onde ela majestosamente passou instantes antes. Continuar lendo “Amor platônico”

Espaço em branco

Para ler ao som de Blank Space

Não que eu me divirta com isso, mas os rumores voam. E sei que você vai ouvir falar de mim. Sou aquela pessoa que pode te mostrar tudo e mais um pouco. Magia, loucura, o pecado e o paraíso. A perfeita tempestade caso seus dias andem calmos demais. Vamos tentar ser amigos e quem sabe depois algo mais? Eu posso te fazer voar e conhecer coisas incríveis. Sou a pessoa mais interessante do momento e gostaria de te provar isso. Serei melhor que qualquer história que você já teve, isso eu posso garantir. O que não garanto é que tudo que eu esteja dizendo é a verdade. Mas não é por mal, eu engano inclusive a mim mesmo às vezes. Continuar lendo “Espaço em branco”

Os meus olhos sentem a falta dos seus

Leia ao som de Seus Olhos – Capital Inicial

Eu quis que o nosso mundo fosse um conto de fadas, amando o tempo todo, em todos os cantos da casa. Mas hoje eu aprendi que isso não existe. Já faz tanto tempo que você partiu e eu fiquei aqui, lambendo as feridas, como um cão abandonado na esperança fútil de que a dona “foi ali e já volta”. Agora eu tô sabendo que você não vem mais, que você até anda dançando em outro ritmo, em outros braços, com outros abraços. Ele realmente vai te amar como eu te amei um dia? Você trocou quem trocaria tudo por você. Eu queria ter forças para dar o troco, mas não sou mais que um par de moedas velhas e enferrujadas que não têm valia nenhuma.  Continuar lendo “Os meus olhos sentem a falta dos seus”

Quando você voltar

Leia curtindo Slow Cheetah – Red Hot Chilli Peppers

A minha casa guarda um silêncio ensurdecedor. O quarto, que já foi pequeno, agora é imenso só pra mim. Minha cama parece ter léguas entre uma ponta e outra. Os espelhos eu evito, pois não quero nem ver o trapo que estou atualmente. Mal de ausência é dos piores que tem. Silencia, encolhe, alarga e deprime coisas que deveriam ser normais. Minha casa cheia de alegria, o quarto parecendo minúsculo, a cama bagunçada, meu sorriso nas selfies em frente ao espelho. Deixei tudo isso pra quando você voltar. Continuar lendo “Quando você voltar”

Por que os segundos não são todos iguais

Foram nove meses para nascer. Cerca de uma década para o sexo oposto começar a ser mais interessante que carrinhos e bonecas. Mais uns anos para o primeiro beijo, mais uns meses para o primeiro amor. Tudo na vida é sobre o tempo e o cretino não para nem para evitar com que façamos a próxima escolha errada. Ah, e pode ter certeza: sempre vai haver uma nova escolha errada. A distinção entre passado, presente e futuro é apenas uma ilusão teimosamente persistente – disse uma vez um certo senhor chamado Einstein. Ilusão, teimosia e persistência poderiam muito bem definir a minha história com ela. Continuar lendo “Por que os segundos não são todos iguais”

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑