De quantos sonhos tive que abrir mão?
E quantos outros que abriram mão de mim?
A vida é mesmo assim.
A gente acha que vai ser uma coisa
e acaba se tornando outra bem diferente.

O que nos resta é olhar pra frente
e não se apegar em realidades que nunca foram reais.
No fim não tem nada demais
em ter fracassado, caído, chorado.


Pois pra cada sonho que tive que abrir mão,
se apresentou pra mim um novo caminho.
Sonhar de novo é meu vício diário.
Estou pronto para recomeçar
quantas vezes for necessário.

Paulinho Rahs