Abri uma memória
de exatamente um ano atrás.
Que loucura é o tempo!
Trezentos e sessenta e cinco dias
parecem tanto, mas não são nada.
Um ano depois as batalhas são outras
mas sigo empunhando a espada.
Algumas batalhas são as mesmas
mas sigo na mesma estrada
pois tive que retornar a estaca zero
depois de cair da escada.

Que coisa agoniante
quando a gente vê
que em vez de evoluir
andou de ré.
Mas troco a lamentação
por ter um pouco de fé
de que me tornei outra pessoa
e agora tenho firmeza no pé.

E quando eu olhar pra trás
daqui exatamente um ano
que eu possa estar feliz
que conquistei o que queria
que segui no meu plano.
E nas coisas em que eu falhar
que eu possa me aceitar
pois no final de tudo
a verdade é que sou apenas
humano.

 

Paulinho Rahs