Busca

Paulinho Rahs

O Poeta Solitário

Tag

Relacionamento

Você quer jogar comigo?

Leia ao som de Vegas Lights

Menina, você tá me deixando “de cara”. Eu sempre gostei de adrenalina, mas fazia tempo que não me sentia assim. O nosso papo tem química, as nossas ideias combinam e, o pior, é que as nossas intenções batem. E se for pra bater, eu quero colidir de frente. Curvas perigosas, acidente de percurso. Se a gente se pechar mesmo, já era.

Continuar lendo “Você quer jogar comigo?”

Espaço em branco

Para ler ao som de Blank Space

Não que eu me divirta com isso, mas os rumores voam. E sei que você vai ouvir falar de mim. Sou aquela pessoa que pode te mostrar tudo e mais um pouco. Magia, loucura, o pecado e o paraíso. A perfeita tempestade caso seus dias andem calmos demais. Vamos tentar ser amigos e quem sabe depois algo mais? Eu posso te fazer voar e conhecer coisas incríveis. Sou a pessoa mais interessante do momento e gostaria de te provar isso. Serei melhor que qualquer história que você já teve, isso eu posso garantir. O que não garanto é que tudo que eu esteja dizendo é a verdade. Mas não é por mal, eu engano inclusive a mim mesmo às vezes. Continuar lendo “Espaço em branco”

Nesse verão você não me escapa

Leia ouvindo This Summer

Cê tá é querendo me matar, só pode. Ainda nem começou a esquentar e vem com esses posts de “Vem verão”, legenda com emoji de solzinho, copinho, praia e blá blá blá. Eu aqui abaixo de chuva, na rua, dentro mim, confuso como um trovão clareando a noite de inverno. Afinal, é agora né? Tá chegando a hora de pararmos com os joguinhos psicológicos, os ataques de likes nas fotos mais emblemáticas e as respostas de stories, assim, como quem não quer nada. Esse verão vai ser de maré boa. Para mim e você também. Continuar lendo “Nesse verão você não me escapa”

Amores imperfeitos

Para ler ao som de Amores Imperfeitos

Nas estradas do amor… A rota de colisão confunde, mas é normal. As batidas de frente machucam, mas fazem parte. Os acidentes são graves, mas não precisam significar a morte. Nas estradas do amor tem muita gente dirigindo embriagada, com o celular na mão e com imprudência. Têm gente que vê uma placa de curva perigosa para a direita e prefere acelerar e virar para a esquerda. São buracos, desvios, obras e pedágios. É preciso parar para abastecer, trocar o óleo e calibrar os pneus. Não da para esquecer de nada disso. Continuar lendo “Amores imperfeitos”

O nosso melhor momento

Você pode ler ao som de Vampire Weekend – Oxford Comma

A tempestade começou cedo pra nós. Desde o primeiro minuto foi aquilo, complicado, enrolado, um monte de nuvens escuras e carregadas sobre nossas cabeças. Vai entender o motivo de tudo… Será que estávamos sendo testados? Por nossos conceitos bobos de como as coisas precisavam ser e por nossas maneiras estupidamente egoístas de ver a vida, o começo foi turbulento e cheio de percalços. A gente foi se segurando nas beiras, esperando não escorregar mais, torcendo pra que a queda fosse mais devagar. Se a velocidade dos conflitos aumentasse, tudo iria pelos ares. Andamos por um fio mais de uma vez e confesso que cansei de rolar na cama de um lado para o outro achando que nós não passaríamos do próximo amanhecer juntos. Continuar lendo “O nosso melhor momento”

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑