Obcecado pela admiração dela desde o primeiro momento que a vi.

Desesperado tentando ser visto que nem criança birrenta.

Maluco por atenção que nem cachorro bobão.

Essas frases me definem desde que ela apareceu deslumbrante naquela manhã fria. Essas frases são meu motivo de vergonha, de autoflagelo, de choque com a realidade. Talvez eu não seja, então, tudo isso que vejo no espelho. Continuar lendo “Meu coração vive num círculo vicioso”