Busca

Paulinho Rahs

O Poeta Solitário

Categoria

Paulinho Rahs

Verdades sobre nós dois

Te amar foi a coisa que mais me machucou na vida. Eu abri mão de centenas de coisas pra poder estar com você. Adiantou? Não adiantou nada! Só eu tentei com todas as forças, só eu amei acima das dificuldades. E o resultado? Você já me esqueceu e eu sigo machucado. Continuar lendo “Verdades sobre nós dois”

A novidade é que eu parei de te querer

Sonhei com você mais uma vez. Pelas minhas contas, com essa já são… Ah, sei lá. Parei de contar depois da milésima. Parei de contar desde que eu fiquei com medo de dormir e ter que te encarar no instante em que eu caísse no sono. Continuar lendo “A novidade é que eu parei de te querer”

Remédio pra tempo perdido

Eu passei grande parte da minha vida simplesmente frustrado. E isso fez eu ser muitas vezes rude, prepotente, explosivo ou ter qualquer outro comportamento nocivo e péssimo de se conviver. E sabe quem foi a pessoa que mais me frustrou? Eu mesmo. Continuar lendo “Remédio pra tempo perdido”

Intensidade sempre vai nos resumir bem

Eu tava aqui pensando sobre nós dois e a nossa história. Olha só, a gente não foi o grande amor da vida um do outro. E também sequer o primeiro. O último? Até o momento não e parece que não vai ser mesmo. Mas tenho certeza que você foi o meu amor mais intenso.

Quando a gente se apaixona por alguém com a maior intensidade possível, pode ter certeza que nada jamais apaga a marca no coração. Pode dar errado, pode não funcionar, pode ser fogo de palha e acabar. A paixão até acaba, mas a lembrança não. Continuar lendo “Intensidade sempre vai nos resumir bem”

Ter o coração partido me fez bem

Eu já fui quebrado ao meio centenas de vezes. Por amores, por amigos, por derrotas, por frustrações. Eu já perdi tanto que achei que nunca ia ganhar de novo. Mas o que fez eu me recuperar e dar a volta por cima foi uma única coisa: eu nunca deixei de acreditar. Continuar lendo “Ter o coração partido me fez bem”

Não perca a fé

Nos dias em que for mais difícil levantar e seguir em frente, desejo que você tenha apenas uma coisa: fé.
Fé que a vida vai melhorar, fé que tem alguém olhando pela sua existência e principalmente: fé em você mesmo.
Acredite, ao olhar no espelho, que aí dentro existe uma pessoa forte, persistente e que merece, sim, vencer. Continuar lendo “Não perca a fé”

Eu ainda te amo

Eu ainda te amo. Tá difícil de entender? Será que eu preciso desenhar ou talvez me jogar no chão, na sua frente, rasgar roupa, fazer birra.

Não, pera. Isso não vai adiantar né? Eu imaginei. Esse negócio de agir como adulto maduro não me cabe muito bem. É que por dentro o meu emocional tá como uma criança de cinco anos mesmo, birrenta e necessitada de atenção.
Fogo mesmo é que se for pra esperar atenção vinda de você, melhor esperar sentado – disso eu sei. Continuar lendo “Eu ainda te amo”

Um dia de cada vez

A dúvida é minha eterna companheira nessa jornada da vida.

Eu vivo sempre nesse vai-não-vai, querendo muito e ao mesmo tempo me achando incapaz.
Eu acho que eu consigo, mas não tenho certeza. Quase sempre eu tô nessa. Quase sempre é a pressa que me faz meter os pés pelas mãos. Outras vezes é a busca pela perfeição que me faz adiar. “Feito é melhor que perfeito”, eu sei. Mas mal feito também não é um bom jeito de colocar as coisas em prática. Continuar lendo “Um dia de cada vez”

O último pôr do sol

Esse foi o último pôr do sol.
Da minha vida? Claro que não. Mas enquanto eu via o sol beijar a montanha e se esconder atrás dela, fiquei pensando: e se fosse? E se, vinte e três anos depois, essa tarde fosse a derradeira e a minha vida se encerrasse ali? Se eu colocasse essa cena na tela de um filme, isso seria um final feliz? Se eu pudesse assistir tudo que passou do início até agora, eu teria de fato realizado algo? Continuar lendo “O último pôr do sol”

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑