Eu tenho tentado ser melhor. Nem sempre eu consigo, mas já sou grato por ver evolução. Não quero mais estar certo, só quero chegar mais perto de estar em paz comigo e o mundo.

Eu tenho tentado ser diferente. Muitas vezes a bagagem do meu passado acaba dificultando essa caminhada. Seja pelos outros ainda verem em mim antigas versões, seja por mim cair na armadilha de agir no automático. Mas o peso dessa bagagem vai ficando mais leve a cada dia. Eu só quero seguir frente pra realmente me tornar diferente.

Eu me sinto sozinho na maioria das vezes. Mesmo cercado de gente, é como se eu fosse uma ilha. Oculta e isolada, dentro dos meus pensamentos. Por essas que fico cada vez mais calado, meu semblante fica sério, olhar vago e pensativo. A impressão que tenho é de estar solitário na minha forma de ser.

Aprendi a gostar da solidão e a me fazer companhia. Muito disso se deve por não conseguir me identificar com muita coisa no mundo exterior. Meus pensamentos e convicções me puxam pra dentro de mim e a forma que eu sigo é assim.

Me sinto triste com um semblante feliz no meu olhar, enquanto muitos pensam que sou a pessoa mais alegre do ambiente. Pareço aguentar o tranco por fora, enquanto por dentro sangro. A minha grande batalha travo dentro de mim.

Estar solitário já me fez com que eu me sentisse perdido. Hoje é dessa maneira que me encontro. Sozinho oro e penso, analiso e desenvolvo, busco me conhecer e me tornar alguém melhor. Me tornar meu próprio amigo foi a maneira que eu encontrei para parar de minar meu caminho.

Paulinho Rahs