Leia ao som de End Over End

No santuário dentro de mim, mil velas jazem acessas, queimando-se pouco a pouco. Ajoelhado em frente a isso tudo, estou eu. Rezando pelo meu futuro, fazendo um pedido mas não em voz alta. Pela minha mente cruzam todos os momentos que vivi até aqui e sigo colocando na balança o que me fez resolver chegar ao fim mais uma vez. O fim e o começo. A morte e o nascimento. Uma coisa depende da outra. Não há um sem que haja o seguinte. E eu que há muito vinha me segurando nas paredes deste poço fundo em que comecei a cair, talvez tenha finalmente visto que seja a hora de um começo inteiramente diferente. Um novo caminho, uma outra resolução. Me sinto como uma porta giratória, com a nítida impressão que já vi tudo isso antes. Parece que as ações e reações já estão programadas. Ficou chato ler e cantar a pedra sobre como os outros vão responder. Quando a gente chega nesse ponto, fica claro que é hora de buscar outros horizontes. Estou certo que vou começar de novo, mas eu não posso iniciar até que eu veja o fim.

Eu dei uma olhada ao meu redor e acredito que isso me entrega. O asco da dependência, a vontade de ser visto de uma forma diferente, a expectativa ficando abaixo de tudo que eu planejava para meus combates e aqueles que os viveriam comigo. Foram muitos tesouros que descobrimos quando éramos novos em folha na arte de viver. Houveram indícios de que estaríamos juntos para sempre, mas nem tudo é como vimos que podia ser uma vez. Agora somos velhos e usados, um pouco quebrados e gastos. Agora sei que preciso me afastar e buscar uma nova alternativa, para um dia renascer. Um dia eu renascerei, um dia eu te encontro exatamente aqui, mais uma vez.

Espere! Paremos tudo para que eu possa recomeçar.

Sinto que ando sem sorte, só que talvez eu apenas sinta demais. Há um toque familiar que sempre vai ficar marcado na minha pele. Tudo que eu via, agora revisito. A bondade em todas as pessoas, o nó que deixamos inacabado, o coração que move seu sangue… Tudo me traz de volta a esse lugar. O mundo vai girando e girando cada vez mais. A cada volta um novo conceito, um pouco mais de motivação, um pouco menos de excitação à toa. Cada vez mais estou mais próximo de me tornar quem eu preciso para conquistar o que quero.

Fim após fim, eu vou circulando. Fim após fim, encontro meu novo começo. Quem sabe o último começo.

 

Paulinho Rahs

Anúncios