Passado, implacável passado, que parece voltar apenas para mim. Será que todo mundo sofre com esse maldito como eu?

Aqui estou, varando outra madrugada no mesmo quarto que já foi cenário de tantas outras histórias mais bonitas que aquela na qual vivo hoje. Afinal hoje é somente mais uma daquelas noites onde o presente é apenas um caminho de passagem para entrar dentro da minha mente e fantasiar com tudo que passou.

Música, álcool, um tempero a mais. Tudo não passa de um amontoado de memórias póstumas de um outro eu que já partiu. E não sou só eu. Nas lembranças que me sufocam existem milhares de amores e dores soterradas que insistem em sussurrar nos meus ouvidos já cansados de tentar discernir o que é real e o que é fantasia. Queria eu ter o poder de mudar o que passou. É a única coisa além do humano que gostaria de possuir. Não me interessa voar, ler pensamentos ou prever o futuro. Se essas coisas me fossem ofertadas, juro que as trocaria pelo simples poder de mudar o passado meu e daqueles que hoje estão na minha vida. Ah, uma regalia mais eu desejaria: mudar também o passado daquelas pessoas que já não figuram mais na peça da minha vida. Foram tantos protagonistas que ficaram para trás! Um conceito que mudasse, uma forma de pensar ou uma palavra dita… Ou um milhão delas ditas de forma errada. Talvez a soma disso tudo mudasse quem eu sou hoje. Sou eu uma consequência criada por erros do passado? Quem sabe apenas um programa do destino que não teria como ser diferente?

Destino. Não acredito neste cretino. Na minha concepção é a gente que molda ele. Imagina, cria, age e, principalmente, escolhe. São as escolhas que nos botam no lugar que acabamos chegando. Só que por mais que a gente seja meticuloso e claro nas escolhas, elas não nos dão clareza sobre o rumo que as estradas nos levam. Vai que deixar de ir tomar uma cerveja no fim do domingo te livra de um acidente que tiraria tua vida? Só que vai que nesse barzinho você conheceria o amor da sua vida!?

Vai que quem errou no passado não foi você e ainda dê tempo de consertar…

Tempo. Conserto. Passado.

É mais fácil deixar nas mãos do acaso. Quem sabe ele nos proteja…

 

Paulinho Rahs

Anúncios