Primeiro foi a angústia. Perdido na madrugada sentindo-me só, vendo as paredes rirem da minha cara, fechando os olhos pra tentar me esconder, no cruel dilema de não saber se é pior dormir ou levantar. O mergulho, a queda. De volta ao mundo astral, alguma coisa está errada. Como é possível ainda esse encontro? Continuar lendo “Sonho ruim”