Pensamentos absurdos rondam a minha mente. Um misto de saudade do que passou e vontade de voltar ao tempo em que nada nos dividia. Há três ou quatro outonos atrás meus objetivos eram distantes, contudo eu – sempre enamorado por novas conquistas – fui buscando um a um até realizar todos que estiveram ao meu alcance. Alguns não foram possíveis, aprendi com a maturidade e o passar dos anos que nem tudo depende só da gente. E quando depende dos outros, simplesmente o furo é um pouquinho mais embaixo. Aceitar. Tá aí algo que precisei aprender pra viver numa boa.

Continuar lendo “A mania de se querer sempre o que não se pode ter”